Viagem

10 curiosidades sobre a vida na Sérvia

Brasileiros Viajantes de hoje é uma estreia. Numa viagem até ao sudeste europeu, guiados por Débora Resende,  do blog Foco no Mundo, uma brasileira que fez intercâmbio na capital da Sérvia, Belgrado. Um país pouco conhecido dos brasileiros e do resto do mundo em geral, ele pode ter várias coisas para nos ensinar. Vem ler:

1. Guerras

A Sérvia já passou por várias guerras durante sua história, e até hoje os sérvios falam disso com muita tristeza, já que essas guerras refletem muito no presente do país. A última foi a guerra do Kosovo em 1999, onde este queria se tornar independente. Até hoje é possível ver os destroços de alguns prédios que foram bombardeados nessa época.

No parque Kalamegdan, um dos principais pontos turísticos de Belgrado, é possível conhecer o “forte de Belgrado” e alguns esconderijos subterrâneos.

Servia2

2. Cidade pré-histórica

Estima-se que Belgrado, capital da Sérvia, existe a cerca de 7 mil anos e é uma das cidades mais antigas da Europa. Beograd significa “cidade branca” e esse nome foi dado pelos celtas, um dos primeiros povos que viveram na cidade.

Servia5

3. Futebol também é coisa séria na Sérvia

Sérvios tem muitas semelhanças com brasileiros, e uma delas é a paixão pelo futebol. Os sérvios são apaixonados pelo esporte e existe uma rivalidade enorme entre os dois principais times de Belgrado. Em dias de clássico a cidade para e não é muito difícil rolar confusão nos estádios.

4. Rákja

Outra semelhança entre sérvios e brasileiros é a bebida típica do país. A rákja é uma bebida muito tradicional na Sérvia e se parece muito com a nossa pinga. Todas as famílias sérvias produzem sua própria rákja e durante as festas todos se juntam para beber.

5. Alfabeto cirílico

Quando cheguei em Belgrado me senti completamente perdida, pois além de não falar a língua eu não conseguia ler nada. Eles utilizam o alfabeto cirílico, um dos alfabetos oficiais da União Europeia. Mas, claro, eles também entendem e utilizam o alfabeto latino (o mesmo que nós usamos). E eu garanto que é bem divertido aprender um novo alfabeto e tentar decifrar as palavras.

Servia6

6. Pékaras

Pékara é o nome dado às padarias sérvias. Elas são muito comuns e é possível encontrar uma em cada esquina. Nas pékaras são vendidos vários tipos de pães e folhados doces e salgados, e várias delas funcionam 24 horas por dia.

7. Tem praia?

A Sérvia perdeu toda a sua parte litorânea quando se separou de Montenegro, em 2006. Mas isso não é motivo para ficar em casa curtindo os quase 40 graus que fazem no verão. Em Belgrado as pessoas vão para o Rio Ada e curtem como se estivessem na praia, com direito a cadeira de praia e guarda sol.

Servia8

8. Um dos países mais baratos da Europa (e do mundo)

A Sérvia é um país pobre e a sua moeda é muito desvalorizada em relação ao euro. Dos países que eu conheço esse é o mais barato, e tenho certeza que é um dos mais baratos do mundo. É muito fácil encontrar hospedagem por 10 euros, almoçar bem por 3 euros e o transporte público custa menos de 1 euro.

Servia4

9. Os moradores não pagam pelo transporte

Falando em transporte público, é muito difícil ver um sérvio entrar no ônibus e pagar por isso. Assim como na maioria dos países europeus, você entra no ônibus por qualquer uma das portas e faz o pagamento em uma máquina. Ninguém fica vigiando se você vai pagar ou não, mas eventualmente aparecem alguns fiscais e cobram 20 vezes o valor da passagem de quem não tiver pago.

Mas em Belgrado apenas os turistas costumam ser cobrados, já que a maioria dos moradores da cidade não conseguem pagar todas as despesas com o salário que ganham.

Servia1

10. Sérvios são muito receptivos

Os sérvios são, provavelmente, as pessoas mais receptivas que já conheci. Quando estava no ônibus, indo da Alemanha para a Sérvia, sentei ao lado de um senhor que não falava inglês mas queria de qualquer forma conversar comigo, me ofereceu frutas, água e tentou me mostrar algumas partes da cidade quando estávamos chegando.

Além disso, como eu sempre frequentava os mesmos comércios perto do dormitório onde estava hospedada, os donos desses comércios sempre me cumprimentavam quando eu passava na rua e eu acabei fazendo amizade com alguns, já que eles sempre tinham alguma história legal para contar e sempre puxavam papo.

ass_deboraresende

Todas as fotos © Débora Resende

faixa-brasileiros-pequeno




Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!