Viagem

Nova York Alternativa: 10 dicas para explorar os bairros Brooklyn e Queens

O objetivo do quadro Guia Nômades Digitais é ajudar todos os viajantes espalhados por esse mundo afora, reunindo dicas de lugares imperdíveis em diferentes pontos do planeta e não tão conhecidos ou cheios de turistas, ajudando quem, mais do que guias, confia em pessoas. Hoje vamos até à maravilhosa Nova York com Matheus Suzano. Vem ler!

Nova York está entre os roteiros de viagem de 9 em cada 10 viajantes pelo mundo, e justamente por essa popularidade vive num processo de gentrificação constante, ou seja, valorização desenfreada das terras mais bem localizadas da cidade. Isso tudo, é claro, influencia no preço dos serviços nas mais movimentadas regiões.

Sem dúvida que é indispensável e inesquecível uma visita ao Central Park, uma caminhada na Quinta Avenida ou mesmo subir no topo do Rockefeller Center e ter uma vista estonteante de Manhattan, mas se você está afim de explorar muito do que os turistas nunca ouviram falar e ainda assim ter uma experiência inesquecível (mais em conta, sem tantas filas e convivendo com os locais) vem comigo e vamos descobrir um pouco do Brooklyn e do Queens.

1. Onde Ficar: Bedford-Stuyvesant

Não é novidade que aqui no ND a economia colaborativa tem sempre destaque e o AIRBNB vem revolucionando o sistema de hospedagem no mundo inteiro com esse conceito. Na Big Apple não é diferente. Considerando que o quarto de hotel mais barato na cidade custe por volta de $200, um quarto no AIRBNB pode ser achado por $40, o que se faz uma opção perfeita, além de toda a experiência de viver como local e com um local.

Bedford-Stuyvesant, ou para os íntimos Bed Stuy, no Brooklyn, é um bairro historicamente negro, mas que vem mudando no passar dos anos e abrigando diferentes grupos em busca de tranquilidade e preços mais acessíveis.

matheusny8

2. Brunch: Juliette

A mistura de Breakfast e Lunch (café da manhã e almoço), o famoso brunch, é talvez a refeição favorita dos nova iorquinos. Os cafés por volta das 11h da manhã estão sempre lotados e todos querem começar o dia bem alimentados antes do trabalho. Andando pelas ruas do Williamsburg, este estabelecimento me chamou a atenção, confesso que num primeiro momento pelo design: um café com um terraço colorido, florido e que parecia bem aconchegante.

Bela surpresa que foi o Juliette, com um ambiente de fato muito agradável, não muito cheio naquele horário, e com toda a atenção da equipe. Eu pedi um “eggs forestière”, um sanduíche torrado com pasta de alho, ovos e cogumelos. Vale a pena conferir!

matheusny7

3. Lunch: Momo Sushi

Um lugar super frequentado pelos jovens do Bushwick, o Momo é sem dúvida uns dos melhores lugares da cidade para quem curte comida asiática. O cardápio é bem variado, com preços justos e um ambiente bem hipster e aconchegante, com mesas compartilhadas e um staff muito bacana.

4. Dinner: Roberta’s

Ganhando fama pela irreverência e, claro, pela qualidade, o Roberta’s vem sendo considerado uma da melhores pizzas da Big Apple. Frequentado por jovens do mundo inteiro, o restaurante tem um mutável cardápio de pizzas, carta de vinhos e uma atmosfera incrível. Me arrisco a dizer que é a melhor da pizza da cidade, já que muitos consideram o Lombardi’s a melhor, e como já provei as duas, acredito que a experiência e qualidade no Brooklyn foram melhores.

matheusny5

5. Museu: Queens Museum

Nova York está repleta de galerias de arte e museus de extrema qualidade. Mas como você deve imaginar, os mais populares, o MoMa, Guggenheim ou o Museu Americano de História Natural, estão sempre lotados de turistas e filas que podem deixar sua viagem um tanto mais estressante. Se você curte arte, o Queens Museum é uma boa alternativa para explorar regiões ainda não tão desbravadas.

O museu abriga exibições temporárias e permanentes, incluindo a maior maquete arquitetônica do mundo! O panorama de Nova York, como é chamada, é considerada a jóia do museu do Queens e um local de memória para os visitantes. Os preços de visitação são bem acessíveis comparados aos mais famosos museus. Variam de entrada franca para estudantes até $8 para adultos.

6. Parque: State of New York – East River State Park

Uma das maiores virtudes de Nova York é a grande quantidade de espaços públicos de extrema qualidade, o que faz a cidade mais democrática e humana. São diversos ao longo da região metropolitana, alguns se destacam, como o Central Park, o High Line ou até mesmo o Brooklyn Bridge Park. O que todos eles têm em comum é a grande quantidade de frequentadores, o que em tempos de alta temporada pode ser um tanto incômodo.

O East River State Park é um calmo parque frequentado por muitos jogadores de futebol mirim aos finais de semana, famílias, casais e amigos. Um verdadeiro oásis com uma vista privilegiada da selva de pedra.

E tem mais: todos os sábados de temporadas amenas rola o Smorgasburg, uma das melhores feiras abertas da cidade (confira mais no próximo tópico).

matheusny3

7. Mercado de Rua – Smorgasburg

O Smorgasburg é um mercado de rua que acontece todos os sábados no Brooklyn. Na temporada mais fria rola no lindo Skylight One Hanson e na temporada amena ao ar livre no East River Park. São diversos tipos de tendas, como mercado de pulgas, comida, roupas ou livros.

8. Compras – Bedford Avenue

A mais longa rua do Brooklyn, no trecho de Williamsburg, é repleta de cafés, bares, brechós, livrarias e até mesmo uma recente inaugurada loja da Apple! São diversas opções de presentinhos com personalidade, diferente da mesmice que se vende nas lojas de souvenirs de Manhattan.

Vale a pena conferir a livraria Spoonbill & Sugartown, com diversos livros de qualidade, cartões postais bem criativos e uma seção de livros usados bem baratinha.

matheusny6

9. Arte – Na rua

O conceito de arte, principalmente nas metrópoles de hoje, não está ligado só ao espaço físico de um museu. A arte vem tomando conta das ruas como lugar de opinião e cultura. O Brooklyn é a vanguarda da expressão de arte de rua no mundo inteiro. Te aconselho a alugar uma bike e explorar as ruas, que permitem cliques fantásticos. Uma boa é começar pela esquina da Troutman St. com a St. Nicholas Ave.

matheusny4

10. Diversão – Flushing Meadows-Corona Park

O Flushing Meadows-Corona Park é o segundo maior parque da cidade, foi construído para abrigar a expo Nova York de 1939-40 e hoje em dia conta com diversas facilidades para conforto do usuário, como área de churrasco, quadra de basquete, campo de futebol, pista de skate dentre outros.

Neste ano o parque também abrigou a primeira edição do festival de música The Meadows que foi um grande sucesso entre os jovens nova iorquinos.

Razões não faltam para visitar a capital do mundo e se a sua desculpa para não conhecer Nova York era grana, estão aí 10 motivos que vão te fazer repensar no assunto. Não perca, explore!

ass_matheus

Todas as fotos © Matheus Suzano




Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!