Viagem

Guia ND: 10 dicas fora do roteiro comum para explorar a Província do Cabo na África do Sul

O objetivo do quadro Guia Nômades Digitais é ajudar todos os viajantes espalhados por esse mundo afora, reunindo dicas de lugares imperdíveis em diferentes pontos do planeta e não tão conhecidos ou cheios de turistas, ajudando quem, mais do que guias, confia em pessoasHoje vamos até à África do Sul, com o casal Giuliana Maurício, que nos mostra alguns lugares que não estão em qualquer guia, mas deveriam ir parar ao seu roteiro.

Há 6 meses, eu e meu marido criamos o projeto Histórias pelo Mundo e resolvemos viajar por 500 dias. Depois de passar por 13 países e mais de 80 cidades nesta primeira fase da viagem, escolhemos a região do Cabo, na África do Sul, para ficar 2 meses e organizar nossos próximos passos.

A província do Cabo compreende as regiões chamadas de West Coast, Cape Town, Winelands, Karoo, Overberg, Klein Karoo e Garden Route. A Cidade do Cabo (Cape Town) é parada obrigatória para quem vem à África do Sul. A cidade chama atenção pela mistura de praias e montanhas, além de boa comida, agito e uma paisagem sensacional.

O que poucas pessoas sabem é que, além da Cidade do Cabo, a região do Cabo como um todo também esconde excelentes surpresas e paisagens de tirar o fôlego. Alugamos um carro e fomos explorar essa região. Encontramos lugares incríveis e não tão populares nos roteiros mais turísticos, que valem a pena conhecer. Veja nosso top 10, com 1 bônus no final:

1. Safari em pequenas reservas

Muita gente opta pelos safaris em grandes reservas e parques nacionais, justamente pelo seu tamanho. Mas, às vezes, uma reserva privada de menor porte pode ser mais fácil para ficar pertinho dos animais, até porque eles já estão mais acostumados com a presença de humanos. Só é preciso achar uma que tenha os animais que você quer ver e que caiba no seu orçamento.

Nas reservas menores é possível encontrar pacotes com almoço, jantar, o safari incluso e até acomodação. Algumas são de alto luxo e o preço é salgadinho, mas tem opções mais em conta. A experiência em uma pequena reserva é diferente do que nos grandes parques nacionais. Se tiver tempo, vale fazer os dois. Nas redondezas de Port Elizabeth, é possível encontrar ótimas opções de safari com bom custo x benefício.

Nós fomos no Schotia Game Reserve e ficamos frente à frente com os leões e os rinocerontes, que renderam várias fotos incríveis. Vimos, também, uma manada de elefantes com um bebê que tinha acabado de nascer e ainda estava aprendendo a andar. Com aproximadamente 5 horas de safari e um jantar muito gostoso, o preço foi de US$100 por pessoa.

O safari mais barato que encontramos foi Kragga Kamma, a 20 minutos de distância de Port Elizabeth. Custou US$6,50 por pessoa, visitando com seu próprio carro e podendo ficar o dia todo. E mesmo com um dia terrível de chuva foi super divertido.

01 Safari em pequenas reservas

2. Food Markets

Em geral, comer na África do Sul é barato comparado aos padrões do Brasil, mas uma experiência que não pode faltar são os populares “Food Markets”. A Cidade do Cabo tem vários, alguns permanentes e outros temporários. A rede “Food Market Lovers” tem promoções incríveis: um prato de sushi pode sair por US$2 depois das 15h; você pode montar sua pasta por US$5, ou que tal um hambúrguer com batata por US$ 3,5? Oferecendo uma boa variedade de comidas, de diferentes países, em um modelo fast food, tem o V&A Food Market, que fica no Waterfront. Além dessas opções, tem uma feira gastronômica que ocorre às quintas feiras na rua St. Georges Mall, e aos sábados e domingos em Woodstock, no Old Biscuit Mall.

Em Stellenbosch conhecemos o Root 44, que abre somente aos sábados e domingos. Além das tradicionais barraquinhas com comidas africanas e de outras partes do mundo, tem um parquinho enorme para crianças, lojas de artesanatos, roupas, bijuterias etc. Ainda é possível degustar quase tudo antes de escolher seu prato preferido.

Em Franschhoek, o Village Market ocorre aos sábados embaixo das árvores da igreja central. É um mercado de produtos caseiros como geleias, tortas, chocolates, bolos, cafés, chás e até cervejas artesanais.

02 Food Markets

3. Uma ilha de leões marinhos em Hout Bay

A 20 minutos de carro de Cape Town fica Hout Bay. Do píer principal já é possível ver alguns leões marinhos passeando perto da praia. Há um passeio de barco por apenas US$ 6 que te leva a uma pequena ilha repleta de leões marinhos. Nunca vi tantos juntos. É possível também encontrar empresas que oferecem snorkeling nessa região e você consegue nadar do lado de vários leões marinhos. Além disso, vale a parada para almoçar por lá. Nas barraquinhas do píer principal você encontra peixes fresquinhos e saborosos. O prato de fish and chips (peixe com batata frita) é o mais popular.

03 Uma ilha de leões marinhos em Hout Bay

4. Boulders Beach em Simons Town

Em Boulders Beach, além de encontrar dezenas de pinguins, você ainda pode nadar próximo ou junto à eles numa pequena praia de águas calmas e transparentes. No entanto, a região é propriedade da Table Mountain National Park, então é preciso pagar para entrar – são US$ 6 por pessoa. A praia fica entre as rochas e dependendo da hora é comum encontrar pinguins nadando ou tomando sol do seu lado.

De Cape Town até Simons Town é possível pegar um trem super baratinho (US$ 3 ida e volta). O trem é simples e antigo, mas vale a pena. Todo caminho é pela costa e passa por diversas praias bem bonitas. Nunca vi um trem passar tão perto do mar; chega a ser perigoso com a maré alta.

04 Boulders Beach em Simons Town

04 Pinguins na Boulders Beach em Simons Town

5. Bate e volta pela costa rumo ao Cabo da Boa Esperança

Há alguns tours que fazem esta rota, mas se alugar um carro terá mais liberdade para curtir o caminho de Cape Town até o Cabo da Boa Esperança. Pelo caminho, pode escolher onde quer dar uma paradinha. A praia de Muizenberg é conhecida pelas suas ondas, paraíso para os surfistas. St. James é uma praia com casinhas coloridas que ficam na areia. Mais do que um simples guarda sol, você pode alugar uma pequena casinha na beira do mar para passar o dia. Kalk Bay é uma praia badaladinha, com uma pequena faixa de areia e diversas opções de restaurantes e bares ao redor. Simons Town fica neste caminho. É onde tem a Boulders Beach, a praia dos pinguins.

O Cabo da Boa Esperança fica dentro de um parque nacional gigante e o ingresso custa cerca de US$ 11 por pessoa. Além de conhecer o local com a placa que sinaliza o Cabo da Boa Esperança e o farol construído em 1859, o parque também oferece várias outras atrações: mountain bike, caminhadas com guias, áreas específicas para pique nique, paragliding, surfe, windsurfe, kite boarding, scuba diving, cavalgadas, escalada, trilhas, além de restaurantes e hotéis para quem quer passar uma noite por lá. Para a maioria dessas atividades, eles aconselham reservar com antecedência.

05 Bate e volta pela costa rumo ao Cabo da Boa Esperança

6. Franschhoek e região dos vinhos

A região das vinícolas na província do Cabo ocidental é imperdível, não somente pelo bom vinho mas também pela excelente gastronomia. Stellenbosch é a cidade mais conhecida pelas suas famosas vinícolas e agito, por ser uma cidade universitária. Ali perto, a cerca de 32km, fica a charmosa e pequena vila de Franschhoek. É possível passar o dia inteiro fazendo degustação de vinhos vinícolas diferentes. Algumas também oferecem queijos, azeite de oliva e chocolate nas desgutações. No centro da cidade você pode reservar um tour para não ter que dirigir. A rua principal da cidade tem diversos restaurantes e bistrôs deliciosos, além de 3 chocolaterias.

Explorar o vale ao redor da cidade também é imperdível; a vista do alto das montanhas observando as grandes plantações de uva é divina.

06 Franschhoek e região dos vinhos

7. Langebaan, o paraíso do kite surf

Ao norte de Cape Town, do lado de Saldanha Bay, fica a cidade e também a lagoa de Langebaan. Uma lagoa de água salgada formada pela oscilação do nível do mar no período pré-histórico, que hoje virou um paraíso para os amantes de kite surf.

Era sábado, o tempo estava ótimo, bastante vento e águas tranquilas. A lagoa estava repleta de gente. Conversando com um surfista, ele disse que na verdade estava até vazio perto de como costuma ficar. O legal é que, além dos mais experientes, também tinham os iniciantes aprendendo o esporte. Há várias escolas de kite surf na cidade para quem quiser se aventurar.

07 Langebaan, o paraíso do KiteSurf

8. Paternoster na costa leste

Na costa leste do Cabo, é um pedacinho da Grécia na África do Sul, com casinhas brancas e um mar azul turquesa. A cidade é super pequena, mas muito aconchegante. Tem muitas opções de acomodação, principalmente casas para alugar. Além disso, oferece uma boa estrutura de restaurantes e um pequeno mercado. Vale a pena pegar o carro e ir até o Farol, que tem uma ótima vista da baía.

08 Paternoster na costa leste

9. Knysna, na Garden Route

Knysna fica na costa oeste e faz parte da chamada Garden Route, que vai de Cape Town à Port Elizabeth. Paramos lá por 2 noites e foi uma ótima surpresa. A cidade é bem estruturada e tem até um waterfront (píer) descolado, com restaurantes, lojas e um bom estacionamento, além de supermercados grandes e um shopping. A região tem vários lagos, e na própria cidade, do alto de suas montanhas (Knysna Heads), é possível observar o encontro do Knysna Lagoon com o oceano. A vista é linda.

Para curtir o dia de praia, escolhemos a Buffalos beach. A praia é ótima, segura para nadar, água morna, chuveiros de água doce e banheiros públicos espaçosos.

Tudo na África do Sul fecha cedo, mas em Knysna eram 21h30 da noite e não se via mais ninguém nas ruas e os restaurantes já estavam até se preparando para fechar. Apesar da gente, que está acostumado com os serviços 24 horas, reclamar nestas horas, será que isso é tão ruim assim? Com certeza, a qualidade de vida destes trabalhadores é melhor do que as de muitas pessoas em condições semelhantes. Em um café, vi uma placa que dizia: “Horário de Funcionamento: Segunda a Sábado: 8h às 16h – Domingo: Surfing”.

09 Knysna, na Garden Route

10. Plettenberg Bay

A cerca de 32km de Knysna, encontramos a charmosa cidade de Plettenberg Bay. A vista do mar era tão incrível que resolvemos parar o carro e admirar a paisagem. O contrate das faixas de areia branca com o degrade do azul do mar parecia uma pintura. Apesar de pequena, é uma cidade perfeita para relaxar e curtir o mar.

10 Plettenberg Bay

11. Coffee Bay na Wild coast

A dica de Coffee Bay fica como bônus porque não fica exatamente na região do Cabo, e sim numa região conhecida como “Wild Coast”. No entanto, para aqueles que gostam de um local mais “selvagem” para desbravar, é uma boa dica. Tanto pela paisagem que é sensacional quanto pela predominância de costumes da cultura xhosa nos vilarejos locais.

A aventura começa pela estrada, que para chegar lá, parece um queijo suíço de tanto buraco. Mas dá para enfrentar; a gente não tinha um carro 4X4 e conseguiu chegar. A maioria das acomodações são albergues ou pousadas, e as ruas na baía de Coffee bay são de terra. A principal atração de Coffee Bay é fazer uma caminhada pelas montanhas beirando a costa que leva ao chamado “Hole in the Wall”. A trilha leva cerca de 3 horas e tem uma paisagem sensacional. Acho que é uma das trihas mais bonitas que já fiz. Mesmo na hora do cansaço, após uma longa subida, só de dar uma paradinha para olhar a vista, já carrega as energias. É preciso um guia para mostrar o caminho, e nos albergues isso é facilmente arranjado. Além da trilha, é possível fazer passeios nos vilarejos para conhecer os costumes locais xhosa e visitar vilas da região.

11 Coffee Bay

Cape Town

Foto extra Giuliana e Mauricio pelo caminho

Todas as fotos © Histórias pelo Mundo

ass-guiliana

Para conhecer outros lugares que já passamos, conheça nosso site: Histórias pelo Mundo ou siga o Facebook ou Instagram do projeto.

guiand-grande




Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!