Empreendedorismo

Antiga prisão em Amsterdã é transformada em espaço criativo para refugiados trabalharem

Nos últimos anos, muitos presídios da Holanda encerraram suas atividades por falta de detentos. Isso ocorre devido a uma vertiginosa queda na taxa de criminalidade do país e, ao invés de deixar os edifícios do sistema prisional vazios, soluções incríveis estão fazendo bom uso destes locais.

Um bom exemplo acontece em Amsterdã onde a prefeitura assumiu as instalações da agência holandesa de instituições de custódia e transformou os quase 9 mil m² de sua maior prisão, a Bijlmerbajes, em um espaço inovador.

Agora a antiga prisão abriga o centro cultural Lola Lik e o Wenckebachweg, um centro de refugiados que abriga até mil pessoas. O espaço completo é dedicado a profissionais criativos, empresas sociais, artesãos e programadores e funciona como uma maneira de integrar a população de refugiados com os habitantes locais.

Muitos dos frequentadores do local produzem criações com os habitantes do centro de refugiados e lhes oferecem treinamento vocacional. Outros disponibilizam programas profissionalizantes, direcionamento de trabalho, auxílio educacional e incentivam o empreendedorismo.

lola_lik (2)

Segundo o site da Lola Lik, esta iniciativa é referida como a “abordagem de Amsterdã” e reflete a política da cidade de promover ativamente e encorajar atividades voltadas para a inclusão de refugiados.

O espaço é público e qualquer um que entra na instalação é convidado a compartilhar suas habilidades com os outros e a moldar o desenvolvimento do local. “Lik” é um termo comum na gíria de Amsterdã para a palavra ‘prisão’, mas também acena com a expressão ‘um pingo de tinta’ que faz referência a mudanças e a novas ideias.

Todas as imagens: Reprodução DesignTaxi




Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!