Brasileiros Viajantes

7 ideias para curtir Buenos Aires com seus filhos

O quadro Brasileiros Viajantes tem proporcionado grandes descobertas aos leitores dos Nômades Digitais, já que nele convidamos brasileiros que vivem espalhados pelo mundo a compartilhar um pouco de suas experiências nos países a que agora chamam de casa. Mas hoj a proposta é especial: desafiamos uma brasileira que se mudou para Buenos Aires e que, pelo caminho, teve o maior presente de todos.

Moro em Buenos Aires há nove anos e sou completamente apaixonada pela cidade. A vida noturna, os excelentes restaurantes, os bons vinhos… Mas desde que a minha filha Nina nasceu, no ano passado, comecei a descobrir uma nova cidade.

Eu e o meu marido começamos a procurar incessantemente atividades bacanas e interessantes para fazemos em família. Foi quando a gente se deu conta que muitas vezes as atividades mais prazerosas com um bebê ou filho pequeno são justamente as mais simples de todas. E Buenos Aires não nos decepcionou neste sentido. A cidade é extremamente agradável e baby friendly.

Abaixo uma pequena listinha com nossas propostas preferidas. 

1. Passear sem carro

A maioria dos bebês adora passear no carrinho, não é? O ar fresco, as inúmeras distrações e o balancinho gostoso muitas vezes acabam botando os pequenos para dormir rapidinho, pelo menos aqui em casa é assim. Buenos Aires é uma cidade super plana, com calçadas largas (algumas precisando de uma manutençãozinha, é verdade), portanto passear pra lá e pra cá com um bebê no carrinho é super fácil e agradável.

Além disso, a alta disponibilidade de taxis na cidade não deixa ninguém na mão. Cansou de andar? É só ir até qualquer esquina e fazer sinal para o próximo carro amarelo e preto que passar com a luz “LIBRE” acesa. Geralmente, o taxista até desce para ajudar a fechar o carrinho e colocá-lo no bagageiro ou no banco do carona. Para os adeptos ao Easy Taxi, boa notícia: o app já funciona aqui desde o começo do ano.  Além disso, o transporte público é melhor que nas grandes capitais brasileiras e bem baratinho.

2. Aproveitar a oferta cultural

Sempre tem alguém que fala que, quando você tem um bebê, é hora de dar adeus à sua vida social/cultural. Isso porque esse alguém não conhece Buenos Aires. A maioria dos museus da cidade, por exemplo, tem agenda de atividades específicas para o público mirim. As crianças podem aproveitar ainda um passeio pelo Museo de los Niños, um museu exclusivo para elas, com uma mini cidade cenográfica em escala reduzida para ser “usada” pelos chiquitos. Também tem muito teatrinho e espetáculos musicais interessantes e educativos fora daquele marketing comercial gigantesco de galinhas e outros personagens mega midiáticos. Fora que aqui é completamente normal ver famílias de casais jovens com filhinhos pequenos (sem babás, diga-se de passagem) frequentando shows (sim, shows de adultoooos!), exposições, feirinhas, galerias e tudo mais, em família.

As madres argentinas são super adeptas das mochilas porta-bebê. A marca Mujer Habitada (criada por uma mami) tem os modelos mais legais.

3. Pracinhas com carrossel

Las Plazas estão por todas partes. São simples e bem cuidadas, sempre com parquinho e, muitas delas, com carrossel, para deleite dos pequenos e dos pais instagrammers. As Calesitas (carrossel em espanhol) são bem vintage, e uma verdadeira tradição por aqui (veja onde encontrar uma). Curiosidade: o tiozinho que toma conta do brinquedo fica parado ao lado, segurando a sortija (especie de chaveirinho). A criança que receber a sortija ganha uma volta grátis no brinquedo.

4.  Muito doce de leite

Tudo bem que o ideal é cuidar muito bem da alimentação da nossa cria, fazendo de tudo para que ela coma somente coisas naturais, saudáveis, nutritivas, vitaminadas, etc e tal. Mas por outro lado, uma viagem rica culturalmente é aquela em que a gente adota alguns costumes locais, não? E, acredite – o costume local mais saboroso de todos é o de comer doce de leite com tudo. Um pouquinho só, pode, né?

Recomendo muito a barrinha de doce de leite da marca Vauquita, que você encontra fácil em qualquer kiosko ou supermercado.

5. Frutas frescas sempre por perto

Para balancear um pouco a dieta e não viver apenas à base de doce de leite, sugiro levar o seu filho até uma verduleria, que é como eles chamam às pequenas quitandas por aqui. Elas estão por toda parte, tudo super arrumadinho, com um certo charme de interior. Ótima oportunidade para seu filho experimentar frutinhas que a gente não acha fácil em grande parte do Brasil, como os arándanos (blueberries), pelón (nectarina), pomelo rosado (grapefruit) e se deliciar com os morangos gigantescos (entram em temporada em dezembro), os pêssegos suculentos e as uvas bem docinhas.

6. Um dia no parque

Programão bem portenho é levar a criançada para gastar energia em um dos parques da cidade. O parque Tres de Febrero, em Palermo, é um dos mais bacanas: pedalinho, aluguel de bicicletas e patins, artistas de rua, barraquinhas vendendo maçã do amor e pipoca, uma verdadeira festa ao ar livre. Durante a primavera, é imperdível uma visita ao Rosedal que fica dentro do parque: um jardim enorme com centenas de variedades de rosas de todas as cores! Se der sorte do bebê cochilar, aproveita e tira uma soneca você também.

7. Festival Internacional de Teatro para Bebês

É isso mesmo que você leu. Tipo de coisa que me faz me apaixonar ainda mais por esta cidade, o Festival de Teatro para Bebês de 8 meses a 3 anos está sendo organizado pelo pessoal do Proyecto Upa, um grupo de gente bacana que busca que o teatro para os pequeninos vá além da contemplacão estética e seja uma experiência na qual o bebê interaje com a família, com outros bebês e com o ambiente. Para marcar na agenda!

A programação completa você confere aqui.

ass-mariana

Para conhecer o blog de Mariana Pereira, clique aqui. E para descobrir como funciona esse tipo de hospedagem diferente de que Mariana fala (e quem sabe, para te ajudar a programar uma viagem à capital argentina), conheça o Hotel Querido.

faixa-brasileiros-grande

Todas as fotos © Mariana Pereira




Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!