Brasileiros Viajantes

12 impressões de uma brasileira morando na Tailândia

Esta semana o Brasileiros Viajantes vai até Ásia pra te dar a conhecer um dos países mais procurados do sudeste do continente, a Tailândia. Fernanda Devidé se mudou para o país há 8 meses para acompanhar o marido e conta o que já descobriu por lá.

A Tailândia reúne tudo aquilo que chamamos de exótico! Cultura, língua, comida, costumes e paisagens. E realmente é bem diferente de tudo o que estamos acostumados. Mas quem foi que disse que isso não pode ser bom? Em Bangkok estou descobrindo a cada dia que conviver com essas diferenças pode ser muito legal e enriquecedor. O que eu acho ruim procuro evitar ou contornar e o que eu acho legal, incorporo ao meu dia a dia.

Quer conhecer um pouco do meu mundo? Então por favor, tire os sapatos antes de entrar e fique à vontade!

1. A comida de rua

A quantidade de barraquinhas de comida espalhadas por Bangkok é inacreditável. Nós brasileiros temos certa tendência a não ver esses “estabelecimentos” com bons olhos, mas basta estar alguns dias por aqui para perceber que este é um hábito comum da população local e se render aos cheiros e sabores da rua. Já comi em barraquinhas que dão de 10 a zero em muito restaurante chique e caro por aí. E o que poderia ser melhor do que aproveitar uma comida deliciosa e baratinha? Procure alguma que esteja cheia de tailandeses, sinal de comida boa e alta rotatividade de produtos, e se jogue sem medo de ser feliz.

Tailandia5

2. Um sorriso nem sempre é um sinal positivo

O tailandês é um povo sorridente por natureza, não é à toa que eles se autodenominam “a terra do sorriso”. Porém, no dia a dia e aos poucos, você começa a perceber que um aceno de cabeça e um sorriso, o que para nós brasileiros seria uma linguagem corporal afirmativa, definitivamente não quer dizer o mesmo para eles. É cultural não entrar em confronto direto, então eles vão te dar um sinal afirmativo, mas, no final, vão acabar fazendo tudo do jeito deles mesmo.

3. A massagem dói

A massagem tailandesa é super famosa no mundo todo. Não existe uma só pessoa que coloque seus pés na Tailândia e não se renda às mãos habilidosas das massagistas. O grande problema é que nosso conceito sobre massagem é um pouco diferente, algo relaxante, com óleos aromáticos, velas, som ambiente mas a massagem tailandesa dói. E dói muito. A primeira vez que eu fiz achei que não tinham me entendido e tinham me colocado em um ringue de muay thai! Era cotovelo, mão, joelho espremendo cada músculo do meu corpo. Depois é bom, mas saiba que o durante é uma verdadeira sessão de tortura!

4. A religiosidade faz parte do dia a dia

Sem falar dos templos budistas que são um capítulo à parte, lindos, reluzentes, coloridos e gigantescos, em Bangkok você percebe a religião em cada cantinho, seja nos amuletos que muitos deles usam no pescoço, nas guirlandas de jasmim que são vendidas nas ruas, nas imagens de Buda dentro dos taxis e nos mini templos que existem em todos os lugares e que servem para agradar os “antigos moradores”. Neles, todos os dias, os tailandeses colocam frutas frescas, água, sucos, já cheguei até a ver a refrigerante! Diferente e bastante curioso.

Tailandia3

5. A arte da pechincha

Aqui nada custa realmente o valor te dizem na primeira vez que você pergunta o preço. Brasileiro não tem muito o costume de pechinchar, temos até um pouco de vergonha, mas aqui isso é quase lei! Tem que pechinchar sim, qualquer coisa, roupas, eletrônicos, passeios. Muitas vezes o preço chega a baixar até 40% do valor inicial. Não barganhar significa, com certeza, pagar muito mais caro do que você deveria.

6. O trânsito caótico

Se achamos que o transito do Brasil é um caos, basta chegar em Bangkok para percebermos que no fundo do poço existe sim um alçapão! A primeira dificuldade é com a mão inglesa, olho mil vezes para todos os lados antes de atravessar a rua e se tiver a oportunidade de seguir um tailandês, não perco! Segundo que sempre aprendemos que calçada é lugar de pedestre, mas isso definitivamente não funciona por aqui. Diariamente recebo uma sonora buzinada para dar passagem para uma moto que trafega pela calçada. E eles ainda ficam bravos se você não dá passagem.

Tailandia2

7. Estações do ano: quente, muito quente e insuportável

Esqueça tudo o que você pensa sobre um lugar quente. Em Bangkok faz um calor indescritível! Nós brasileiros nos achamos acostumados com o calor, mas sempre digo que viver em Bangkok é morar na sauna. E é assim o ano todo, alguns períodos menos quentes, de dezembro a fevereiro, e alguns em que realmente fica difícil estar ao ar livre.
O pior é estar na rua há 5 minutos, já suando, com a maquiagem derretida, o cabelo desgrenhado e olhar para os lados e ver os tailandeses intactos, sem nem sequer se abanar. E muitas vezes de casaco.

8. As ilhas paradisíacas

As ilhas tailandesas são sempre um destino dos sonhos, as praias de areia branquinha, o mar esverdeado de águas quentes, os peixinhos. E elas são mesmo tudo aquilo que vemos nas fotos! As que eu já conheci podem sim ser classificadas como um pedacinho do paraíso. Uma paisagem mais linda do que a outra, o mar tranquilo e delicioso pra se refrescar e relaxar. Para uma boa paulistana que não dispensa uma praia no feriado, não tenho do que reclamar e recomendo com todo meu coração!

Tailandia4

9. A língua impossível

Sempre falo que se você não nasceu falando tailandês, vai ser realmente muito difícil de aprender! O thai é uma língua baseada em tons e eles fazem uns sons que não temos a menor ideia de como reproduzir. Tenho por aqui alguns amigos heróis que conseguiram aprender mas que dizem ser realmente bastante difícil, uma palavra em um tom errado pode mudar completamente o sentido do que você está falando. Na dúvida, melhor não arriscar.

A sorte é que como existem muitos estrangeiros por aqui, morando ou turistando, encontramos, principalmente nos lugares turísticos, pessoas que falam pelo menos um pouquinho de inglês. E na hora do aperto, a boa e velha mímica sempre salva!

10. O adeus à rotina

Bangkok é uma cidade cheia de surpresas! Uma mudança no caminho de todo dia te faz descobrir um restaurante novo, um mercado de rua repleto de frutas e verduras fresquinhas, um templo diferente, uma lojinha cheia de cacarecos úteis e inúteis que a gente adora. Enfim, pra sair da rotina basta entrar numa ruazinha que você acha que não tem nada, em uma das mil galerias que começam em uma portinha sem graça e simplesmente descobrir um novo mundo.

11. Falso x Verdadeiro

Por toda a Tailândia encontramos falsificações de tudo, bolsas, roupas, relógios, eletrônicos e se você procurar direito é bem capaz de encontrar um gato pintado com listras para ser vendido como filhote de tigre! Mas olha, muitas delas são realmente bem feitas daquelas que só conseguimos perceber olhando atentamente, vendo o lugar onde estão sendo vendidas e, obviamente, perguntando o preço! E na maioria das vezes os tailandeses não tentam te enganar, você pergunta se é original e eles respondem com o famoso “same, same, but different”!

12. Eles amam o Brasil mesmo sem saber direito onde fica

Basta eu falar para um tailandês que eu sou brasileira que já vejo o sorriso aparecer no rosto deles. O que eles sabem sobre o nosso país normalmente não sai muito dos clichês que já conhecemos bem, futebol e música (aqui leia-se Michel Teló), mas, todos, sem exceção, sempre dizem que adoram os brasileiros e que gostariam muito de conhecer o Brasil. Sorrio pra eles, porque, sem dúvida, fazemos sucesso na Terra do Sorriso!

Tailandia1

ass-devide

Todas as fotos © Octávio Eckhardt e Fernanda Devidé

faixa-brasileiros-grande

Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!