Empreendedorismo

12 dicas para que sua empresa dê certo no trabalho remoto

Sabemos e divulgamos que o home office tem várias vantagens, e o Brasil já regulamentou o modelo de trabalho, mas será que você está preparado para isso? Tendência mundial, os colaboradores estão se adaptando cada vez mais a um novo modo de vida, que gradualmente vai sendo implantado e aceito nas empresas. Muitos profissionais de TI e comunicação já poupam tempo e dinheiro trabalhando remotamente durante alguns dias da semana, uma alternativa que traz muitos benefícios para o mercado e para as pessoas.

Mas, antes de mais nada, é preciso entender que ficar em casa não anula a atividade a ser feita diariamente. Não é porque você não saiu que vai deixar de ter uma rotina regrada, senão tudo se perde e você simplesmente não rende na hora que deveria estar rendendo. Em contrapartida, as empresas também devem saber administrar quem está remoto e quais são os principais diferenciais desta modalidade, incluindo processo de contratação.

Um estudo da SAP feito em agosto de 2014 aponta que 42% das empresas já possuem política estruturada, sendo em sua grande maioria com menos de cinco anos de atuação. A pesquisa também revela que o trabalho remoto concentra 70% dentro das profissões de TI, indústria Química/Petroquímica, P&D, Autoindústria, Eletroeletrônicos e Bens de Consumo.

Quer saber se seu negócio está preparado para isso? Confira as dicas abaixo:

1. Nem todos se adaptam

Antes de mais nada, é preciso avaliar se as funções são compatíveis com o modelo, fazendo uma avaliação de atividades, departamentos, funcionários e contratação. A cultura corporativa precisa ter uma flexibilidade muito maior para implantar o trabalho remoto, mesmo que seja somente em algumas áreas.

2. Saiba justificar na hora de negar

Você pode não ter optado por implantar o trabalho remoto, mas precisa mapear, avaliar e apresentar justificativas claras e objetivas para os funcionários interessados na modalidade e, por que não, repensar na maneira de trabalho dentro da própria empresa para que as pessoas não queiram estar longe dela. Saiba separar escolhas pessoais das profissionais. 

3. Reveja as metas

Já sabemos as vantagens e desvantagens do modelo de trabalho, mas é preciso recriar as metas da empresa quando o trabalho se torna remoto. Lembre-se que, acima de tudo, a produtividade será maior, o tempo gasto em percurso será menor, assim como as despesas da empresa. Ou seja, se o trabalho beneficia o funcionário em vários níveis, a empresa também precisa de resultados, então saiba como cobrar e avaliar.

4. Na dúvida, crie um projeto piloto

Se o trabalho remoto ainda é uma incógnita para sua empresa e gera insegurança, implemente um programa-piloto antes de dar o veredito. Isso pode otimizar recursos, evitar futuros problemas e é um grande passo para a adaptação e avaliação da estrutura dos negócios.

remoto3

5. Adapte todos os setores da empresa

Quando a empresa muda o modo de trabalho, tudo precisa ser remanejado, incluindo RH, departamento jurídico e administrativo. Desde a gestão até os equipamentos, programas de hardware e outros itens estabelecidos dentro e fora da empresa, o funcionário precisa entender bem o processo e concordar com as novas regras estabelecidas para que o sistema não falhe. Acima de tudo, o trabalho remoto é um acordo de confiança entre ambas as partes.

6. Dê treinamento

É importante lembrar também que o trabalho remoto não é cada um por si. Embora as pessoas tenham maiores responsabilidades e autonomia, a empresa precisa se assegurar do que está fazendo e deixar o funcionário seguro. Treinamentos relacionados à nova modalidade (por exemplo: como criar um escritório em casa) são bem vindos para garantir a colaboração entre todos, independente de onde estejam. Você pode sim, estar trabalhando no meio da praia, mas precisa, por exemplo, atender o celular quando te ligam. Isso ainda é trabalho, não é folga.

Business seminar

7. Cuide do relacionamento entre as equipes

As regras, treinamentos e adaptações devem incluir o relacionamento à distância entre as equipes, que mesmo de longe precisam se manter ajudando umas às outras, evitando crises entre quem trabalha remoto e quem ficou no escritório. Deve haver um equilíbrio de atividades, justiça e igualdade.

8. Inclua novos procedimentos para avaliar performance

A falta de interação diária pode ser um problema, porque nada substitui a presença de alguém. O engajamento dos funcionários deve ser medido de uma outra maneira, agora mais difícil, seja por um novo conjunto de métricas de performance ou alguma ferramenta que não deixe este campo em branco na hora da avaliação do trabalho.

9. Não fique só no online

Não é porque a empresa tem trabalho home office que as pessoas nunca mais vão se ver. É importante manter o contato olho no olho, promover a integração, seja em reuniões presenciais ou no happy hour. O online ajuda no dia a dia, mas não serve para que absolutamente tudo esteja ok.

remoto

10. Faça contato sempre

A rotina dentro do trabalho remoto muda, mas o contato – mesmo que pela internet – é essencial para checar os membros da equipe. Não deixe de motivar, engajar e estar disponível para esclarecimentos, dúvidas e comunicados. É extremamente importante estar por dentro de tudo o que acontece, mesmo que de fora.

11. Não adie os problemas

É aquela velha história: “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”, de preferência, agora. Problemas de trabalho, assim como todos os outros, devem ser priorizados e exigem uma liderança firme e confiante. Deu crise? Pare o que está fazendo e resolva. Problemas menores podem tomar proporções maiores quando o trabalho é remoto, já que não existe a possibilidade de ir na mesa do chefe e apitar o que está acontecendo. Outro ponto é que, longe, eles simplesmente não veem o movimento interno e nem especulações rolando.

12. Vida profissional deve estar separada da pessoal

O foco dentro do trabalho remoto é muito importante. Estando em casa, a família, os amigos ou até mesmo o vizinho podem atrapalhar. Num café, até mesmo a comida pode distrair. Exercite a prática de ignorar o que não é necessário ou fundamental naquele momento do trabalho e oriente seus funcionários para que saibam administrar e separar sua vida pessoal da profissional. A flexibilidade que o trabalho permite não pode ser interferida com problemas pessoais a qualquer momento, a não ser que sejam muito urgentes, assim como já acontecia na atividade presencial.

remoto2

Todas as fotos: Reprodução

[Via]

Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!