Viagem

10 lugares fora dos roteiros turísticos tradicionais para visitar no Egito

O objetivo do nosso mais recente quadro, o Guia Nômades Digitais, é ajudar todos os viajantes espalhados por esse mundo afora, reunindo dicas de lugares imperdíveis em diferentes pontos do planeta e não tão conhecidos ou cheios de turistas, ajudando quem, mais do que guias, confia em pessoas. Hoje vamos até o Egito, guiados pelo Henry Yamamoto, um brasileiro que está fazendo um mochilão de 500 dias pelo mundo. Vem com a gente:

Após a revolução de 2011, onde até o museu de Cairo foi invadido e teve relíquias roubadas, o Egito foi considerado um lugar perigoso para viajar, perdendo cerca de 95% dos seus turistas. Mesmo concordando que o Egito não é um país fácil e 100% seguro para viajar por conta própria, muito menos para mulheres, ele não é nenhum bicho-de-sete-cabeças. Aliás, acho ainda mais seguro que o Brasil.

Durante minha visita de 28 dias, em maio de 2014, tinha pouquíssimos turistas no Egito, e eu estava praticamente sozinho em todas atrações que visitei (mal tinha gente para pedir para tirar uma foto minha) e, em 28 dias em albergues, conheci menos de 15 viajantes. Meus amigos que visitaram o Egito antes da Revolução não acreditaram quando viram minhas fotos sozinho nos lugares famosos. Entrei sozinho na pirâmide de Khufu, mas cinco anos atrás tinha fila de horas embaixo daquele sol escaldante. Por isso, minha dica é: visite agora, antes que a multidão de turistas volte.

Como eu gosto muito de visitar lugares diferentes, além das rotas turísticas tradicionais, que no Egito são o Museu de Cairo, as Pirâmides também na capital, o Vale dos Reis e os Templos de Luxor e Karnak, em Luxor, fiz uma lista de lugares que não são tão famosos assim, mas que valem sua visita:

1. Abu Simbel

Perto da Fronteira com o Sudão, a mais de 200km do sul de Aswan, se encontra um dos maiores monumentos do Egito, o gigantesco templo de Abu Simbel, que foi construído pelo Faraó Ramsés, segundo mais poderoso Faraó de todos os tempos. Mesmo assim, ele foi abandonado, esquecido e enterrado pelas areias do deserto, redescoberto em 1813 e depois escavado por arqueólogos. Mais de um século depois, em 1964, ele foi cortado e o mudaram de local para salvá-lo das inundações do Rio Nilo. Essa rota turística teve problemas de ataques terroristas aos ônibus, por isso agora o percurso é feito de trem com escolta policial, para garantir a segurança dos turistas.

AbuSimbel1

AbuSimbel2

2. Templo Philae Isis

Lembra da nave espacial Philae, que pousou num cometa alguns meses atrás? Ela foi nomeada em homenagem a Obelisco Philae (hoje na Inglaterra), mas que pertencia a esse templo que fica na ilha de Agilkia, no Lago Nassear, na cidade de Aswan. Para chegar nessa ilha, tivemos muitos problemas com os barqueiros. Éramos 5 e eles queriam cobrar 300 libras egípcias – como perguntamos o preço antes no albergue, sabíamos que custava 60, então acabamos pagando 80 (uns 11 dólares) por barco, mas tivemos que chamar a polícia para ajustar os preços.

O mais incrível foi que esse templo também foi desmontado e transportado para a ilha Agilka, que está em um terreno mais alto que seu local original. Apesar do templo ainda estar em boas condições, pela idade que ele tem, foi muito danificado pelas inundações do Rio Nilo.

PhilaeIsis

3. Pirâmide de Djoser (Saqqara)

Visite logo antes que seja tarde! A pirâmide de Saqqara foi a primeira pirâmide construída no Egito e, por ser tão antiga, está caindo aos pedaços. Com a crise no setor turístico, não acredito que o governo vá terminar as reformas tão cedo.

Ela pode ser visitada em um dia junto com a Pirâmide de Dahshur (Pirâmide vermelha), em um bate-volta do Cairo.

PiramideSaqqara

4. Mar vermelho

As cidades mais famosas para mergulhar no mar vermelho são Sharm el Sheikh, Dahab e Hurghada. Eu passei 7 dias em Hurghada e fiz muitos mergulhos maravilhosos e baratos; aparentemente, as cidades praianas são as que mais recebem turistas hoje, já que os protestos ocorrem mais no Cairo e Alexandria. O lugar mais famoso é o Buraco Azul, que é um dos pontos de mergulho mais perigosos do mundo e, como eu tenho apenas o curso básico de mergulho, resolvi não arriscar.

MarVermelho

5. Alexandria

A poucas horas de trem do Cairo, Alexandria é uma cidade bem limpa e organizada comparado as outras cidades egípcias. Lá visitei apenas a nova Biblioteca de Alexandria e o forte de Qaitbey. Como não encontrei nenhuma informação sobre as ruínas do farol de Alexandria, uma das 7 maravilhas do mundo antigo, apesar de ter perdido muito tempo na praia perguntando para os locais que não falavam inglês sobre o farol, não consegui nenhuma informação, pois ninguém soube me falar se tinha um passeio de barco para ver a ilha com ruínas do farol (caso tenha restado algo), mas acabei descobrindo que é possível mergulhar com cilindro e ver esfinges debaixo d’água, que ficará para a próxima visita. Isso e as Catacumbas do Kom El Shoqafa e os Jardins do Palácio de Montazah, que não deu para visitar num bate a volta.

FortAlexandria

BibliotecaAlexandria

6. Templo de Hatshepsut

É um templo perto do Vale dos Reis, construído em homenagem a Hatshepsut, a segunda mulher mais famosa do Egito depois de Cleópatra. Como antigamente era difícil para uma mulher subir ao trono, ela se declarou filha de Amon Rá e governou por muito tempo até sua morte, quando o filho Tutmoses III assumiu o poder.

TemploHatshepsut1

TemploHatshepsut2

7. Obelisco inacabado de Aswan

Por sorte, alguém errou, alguém que com certeza deve ter sido executado pelo Faraó (aliás, Faraoa?), pois este Obelisco foi encomendado pela Faraó Hatshepsut. Graças a ele, nós podemos ter uma ideia de como os egípcios construíam os Obeliscos. Esse era para ser o maior de todos os tempos, com 42 metros de altura e 1200 toneladas. Hoje, infelizmente, tem mais Obeliscos egípcios na Europa do que no Egito.

8. Passeio de Barco Felluca no Rio Nilo

Saia da rotina e diga não aos barcos com motor e cruzeiros de luxo (que ouvi falar que estão muito mais baratos por conta da crise), e pegue um barco Felluca, que é movido pelos ventos, navegue pelo Rio Nilo do jeito que os antigos egípcios faziam milhares de anos atrás. Esse passeio pode ser feito em Luxor ou Cairo.

PasseioFelluca

9. Citadela de Cairo

Além da linda mesquita e visão panorâmica de Cairo, tem 4 museus dentro da Citadela. O museu militar é muito impressionante, conta toda a história recente do Egito. Além dele, existe o Museu da Polícia, o Museu do Palácio de Al-Gawhara e o Museu dos Transportes, que são bem interessantes.

Nas redondezas da Citadela tem um cemitério Egípcio que eu encontrei por acaso quando me perdi, achei bem interessante, então anota na lista também.

CitadelaCairo

10. Estátua de Ramsés II em Memphis

A estátua de calcário de 10 metros de altura (e mil toneladas!) do mais poderoso Faraó de todos os tempos está deitada, pois está quebrada. Memphis se localiza no Atual Cairo, e essa estátua fica em um minúsculo museu.

RamsesII1

RamsesII2

Apesar de serem fantásticos, esses lugares não fazem parte das principais atrações turísticas do país, então imaginem como devem ser as Pirâmides, Vale dos Reis e Karnak! Por isso, após um ano de viagem em quase 40 países, se me perguntarem meu segundo país favorito, eu realmente não consigo responder – foram tantos países maravilhosos -, mas o primeiro, sem sombra de dúvida, é o Egito! Boa viagem a todos!

ass-henry

Para acompanhar a aventura de Henry em 500 dias pelo mundo, siga a página do projeto no Facebook.

Todas as fotos © Henry Yamamoto

guiand-grande

Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!