Brasileiros Viajantes

10 curiosidades sobre a vida na Suíça

Brasileiros Viajantes de hoje leva-nos de volta à Europa, de onde já tivemos testemunhos de brasileiros vivendo em Londres e na Suécia. Hoje o dia é dedicado à Suíça e a convidada é Liana Soares. Vem ver as curiosidades que ela tem para contar sobre a vida por lá!

A Suíça não é exatamente o primeiro destino da lista quando brasileiros saem do Brasil para o exterior, seja para passear, seja para morar. Quando você ouve “Suíça”, talvez pense em chocolate, neve, frio, alpes e relógios. É, faz sentido. Mas viver na Suíça é bem mais que isso.

1. Um país que tem 4 idiomas oficiais

A história de idiomas na Suíça dá muito pano para manga. São muitas discussões e opiniões de como é e de como deveria ser. O fato é que a Suíça tem 4 idiomas oficiais: o alemão, o francês, o italiano e o romanche. Com exceção do Romanche, que é uma mistura do alemão com italiano, os outros três são meio que emprestados dos países com quem a Suíça faz divisa. A grande maioria da população (quase 70%) fala alemão, seguido do francês (20%), italiano (7%) e o pequeno restante é desse idioma meio desconhecido, o romanche, que é falado apenas em regiões de campo do cantão de Graubünden.

LianaSuíça2

2. A Suíça não faz parte na União Europeia

É verdade. Isso sempre gera uma dúvida se brasileiro precisa de visto para vir a Suíça, ou qual é a moeda, etc. A Suíça não faz parte da União Europeia, porém existe um acordo chamado Schengen com países da UE que permite diversas relações, inclusive a não necessidade de vistos para brasileiros até 3 meses, assim como funciona com os outros países da União Europeia. A moeda, entretanto, não é o Euro e sim o forte e estável Franco Suíço (CHF), que vale menos que o Euro, mas mais que o Dólar.

3. Tire os sapatos antes de entrar em casa

O normal é não ficar de sapatos dentro de casa. Seja qual for a casa. Em casas de famílias suíças, sempre há um mini armário de sapatos na entrada, onde, seja qual for a ocasião, os sapatos são deixados. De início para nós brasileiros pode parecer esquisito ficar de meia numa festa de aniversário ou numa reunião de Natal, mas é assim mesmo. Hoje eu já acho normal e virou costume para mim também. Em casa só de meia ou descalça.

4. Você vira faxineira, passadera, arrumadera e manicure

Brasileiro que vem pra cá achando que a vida aqui é glamour e riqueza, está enganado. Bom, com muito dinheiro a vida é assim em qualquer lugar. Mas serviços terceirizados aqui são muito caros. Classe média não tem empregada em casa. Com o tempo você termina se acostumando a arrumar um pouquinho aqui hoje e mais um bocadinho ali amanhã, faz suas próprias unhas e passa sua própria roupa, e assim vai mantendo a vida organizada sem gastar rios de dinheiro. Nada mais justo.

LianaSuíça

5. Não existe saúde pública

É, aqui plano de saúde é obrigatório. Se você vier a turismo, precisa de um seguro saúde. E se vier morar, a prefeitura de onde mora irá entrar em contato para você dizer qual seu plano escolhido, ou então eles vão determinar um para você. E olha, não é barato… mas pelo menos é de boa qualidade.

6. Chocolate suíço todo dia não é luxo

Se no Brasil, uma barrinha de chocolate suíço custa os olhos da cara, aqui a coisa mais normal do mundo é um pedacinho do chocolate local a qualquer hora do dia. É tão comum que você tem que se conter para não entrar no vício, porque é no trabalho o colega te oferecendo, é lembrancinha de aniversário, enfim. No dia a dia a delícia do chocolate suíço está presente e você termina é se acostumando.

7. Um dos países mais caros do mundo

É a Suíça. Genebra e Zurique sempre estão nos primeiros lugares nas frequentes pesquisas que levantam os lugares mais caros para se viver. Se levam em consideração o preço do café e do sanduíche, além de serviços básicos, que como comentei antes, são sempre muito caros. É verdade que os salários por aqui também são altos, então termina sendo normal pagar caro por tudo mesmo.

LianaSuíça1

8. O povo é quem decide

A Suíça é uma república federal e o governo funciona principalmente através de decisões tomadas pela população. Não só é o povo quem elege os governantes, assim como é nas democracias ocidente afora, mas aqui as leis, antes de virarem leis, são projetos que são votadas em plebiscitos pelo povo, que a propósito, vota voluntariamente. Seja abaixo assinados que tiveram o mínimo de assinatura ou um projeto sugerido por um político, o que o povo votar, está decidido e vira lei.

9. Não ir trabalhar porque o tempo está bonito

Aqui ninguém vive sem estar de olho na previsão do tempo. Nenhum plano de atividade ao ar livre é feito sem analisar minuciosamente a previsão para aquele dia. O inverno é tão longo e os dias de sol são tão especiais que se houver uma previsão de dia lindíssimo com sol o tempo todo no verão, céu azul sem nenhuma nuvem, por exemplo, com temperaturas lá batendo os 30 graus, e se esse dia cair numa terça-feira, não se admire se seu colega “avisar” que não vai trabalhar porque o dia está bonito. Em geral, os suíços são muito responsáveis e se fizer isso, é porque o trabalho permite e nada vai ficar prejudicado.

LianaSuíça3

10. Domingo não tem comércio

Ainda há controvérsias, mas segundo os suíços, domingo é dia de relaxar. E relaxar significa não fazer compras. Sim, o comércio de lojas e shoppings é todo fechado aos domingos, com excecão da estação central de trem, onde funciona o básico, como mercado, farmácia, etc. Para a maioria, isso é qualidade de vida, que termina “obrigando” você a, no domingo, ou ficar em casa ou sair para lugares como parques e fazer passeios, ou ir a casa de algum parente ou amigo.

ass-liana

Para acompanhar as aventuras de Liana por terras suíças, siga o Ela é Americana.

Todas as fotos © Liana Soares

faixa-brasileiros-grande

Aprenda a ser um Nômade Digital

31.934 pessoas fazem parte de nosso grupo fechado de dicas por e-mail. É grátis!